Olá pessoal, tudo bem? Já faz tempo desde a minha última postagem. Hoje eu vim falar sobre um assunto muito importante e que mudou a minha vida de um jeito que eu não imaginava. Hoje faz um ano que eu decidi parar de alisar o meu cabelo e entrar na famosa transição capilar.


Para os que não fazem ideia do que eu estou falando a transição capilar é o processo que as pessoas de cabelos crespos/cacheados/ondulados fazem quando decidem parar de usar qualquer produto químico alisante em seus cabelos. O processo de transição é resumidamente esperar o cabelo crescer para fazer o tão esperado BC (Big Chop). E o que seria o Big Chop ou BC para os íntimos, nada mais é que cortar toda a parte lisa do cabelo deixando apenas as madeixas naturais.

Voltando pra minha história desde o comecinho. Eu alisei meu cabelo pela primeira vez “sem querer.” Meu cabelo sempre foi muito cheio e volumoso sendo assim uma tia minha comprou um produto para reduzir o volume mas o resultado não saiu como esperávamos. Ao invés de baixar o volume o produto esticou os meus cachos deixando ele com um aspecto horrível. Não ficou cacheado, não ficou liso, ficou esticado, ressecado e sem brilho nenhum. Foi ai que eu passei a odiar o meu cabelo, eu não gostava de me olhar no espelho, eu não usava ele solto, eu ouvia piadinhas de pessoas ao meu redor, principalmente dos coleguinhas do transporte escolar. E isso foi destruindo minha autoestima.

Chegou a sétima série eu comecei a usar um produto chamado Hene, era um alisante “natural” que além de alisar também tingia o cabelo. Foi um produto que a minha avó usou por muitos anos e que uma tia minha também usava. Hene de fato me ajudou a melhorar um pouco a minha autoestima, as pessoas não me olhavam esquisito mais, eu era só mais uma garota que alisava o cabelo como tantas outras.


 Eu usei Hene por 7 anos, até me cansar do cabelo ralo, com frios grossos e quebradiços. Esperei meu cabelo crescer um pouco e usei a minha primeira progressiva. Fiquei super feliz com aquele cabelo super baixo e liso. Decidi cortar ele na altura das orelhas pra tirar o resto de Hene que tinha nas pontas e me ver livre daquele produto de uma vez.



Desde de pequena eu sonho em ter cabelo colorido. Azul, roxo, verde, lilás, enfim de toda as cores possíveis. E por usar Hene eu não podia pois não ele não era compatível com nenhum produto químico.  Eu fiquei muito feliz com a possibilidade de finalmente poder tingir o meu cabelo e fui pesquisar sobre descoloração em cabelos com progressiva. Recebi outro balde de água fria, novamente não era aconselhável descolorir o cabelo porque os fios já estavam sensíveis por conta da progressiva. Eu fiquei desolada e muito triste. Foi quando eu decidi pesquisar sobre parar de alisar o cabelo e descobri a famosa transição capilar. Assisti vídeos de meninas com seus cabelos naturais lindos, ouvi o quanto elas eram mais felizes não apenas com seus cabelos mas com elas mesmas, e era isso que eu queria pra mim. Eu queria me sentir bonita de verdade e não como um modelo ideal de beleza, ditado por uma sociedade preconceituosa.

No dia 6 de outubro de 2016 eu decidi parar de alisar o meu cabelo.

Nunca fui uma pessoa paciente então demorei menos de dois meses pra fazer o meu BC. Antes disso eu usava texturização na maior parte do tempo. Texturização é uma técnica que as meninas no processo de transição usam parar cachear os fios não ficando assim com duas texturas.


                     

Cada pessoa passa pela a transição de uma maneira diferente, eu nunca fui muito paciente e também não tenho apego com cabelo, se for pra cortar eu corto sem pensar duas vezes. Também não tive problemas com autoestima, claro que teve dias em que eu não queria sair de casa por estar odiando o meu cabelo, mas isso acontece com qualquer pessoa independente do cabelo que ela tenha. Tive muito apoio, principalmente da minha mãe que sempre desejou que eu assumisse eu verdadeiro eu, como ela gosta de dizer.  Quando fiz meu BC confesso que tomei um choque, já tinha cortado meu cabelos muitas vezes bem curtinho, mas nunca tão curto e foi muito esquisito.


Passados 9 meses do corte meu cabelo já cresceu bem. Ainda não está 100% definido mas eu me viro bem com ele, e o mais importante: eu o amo do jeitinho que ele é.

A transição capilar mudou muito mais que o meu cabelo. Ela mudou a forma com que eu me enxergava. Ela me mostrou que eu tinha uma falsa impressão de beleza anos atrás, eu naõ era feliz com meu cabelo liso, eu era feliz com a ideia de estar dentro de um padrão de beleza, porque nesse padrão de beleza eu não recebia olhares feios e não era julgada. Hoje eu sou muito mais feliz com a imagem que eu vejo refletida  no espelho. Eu consigo enxergar uma parte de quem a Stephanne é. E eu sou tão grata por isso. E é por ser tão grata que eu fiz esse post pra compartilhar com outras pessoas que talvez passem pelo o que eu passei pra dizer: seu cabelo é lindo, seu cabelo é bom! Quando te disserem que seu cabelo é ruim, não acredite nem por um segundo nessa mentira. As pessoas criticam o que é diferente, o que não se encaixa naquilo que elas têm como “perfeito.” O perfeito não existe.

Esse é o meu cabelo atualmente. Ele me traz liberdade. Liberdade de ser quem eu quero ser.

instagram: @stephannethesmiths


Até a próxima.
Com amor,

Steph ❤ 



Hey, você ai do outro lado. Você mesmo, que por algum motivo esta tirando um pouco do seu tempo pra ler o que eu escrevi. Esta tudo bem nada, estar bem. Sim você leu direito, esta tudo bem. Quantas vezes  estávamos péssimos por algum motivo ou até por motivo nenhum e por receio ou medo - ou os dois - fingimos estar bem, estar inteiros, estar felizes? 

Por que temos tanto medo de dizer a verdade. De colocar para fora toda a escuridão que existe dentro da gente? Por que temos tanto receio em mostrar o quanto somos humanos, o quão quebrados podemos estar? Quando foi que passamos a sufocar nossos sentimentos, nossos anseios, nossos problemas? 

É tão difícil guardar tudo pra si. Não é? Fica tudo tão pesado, tão apertado que parece que o que é que esteja dentro da gente pode explodir a qualquer momento, como aquelas bolhas de sabão gigantes, que crescem, crescem, crescem e quando a gente pensa que ela pode crescer mais um pouco, explode? Já experimentou colocar tudo pra fora? Gritar e dizer pra si mesma que você não precisa guardar tudo isso, que você não precisa ser tão forte? Que TUDO BEM você querer chorar o dia inteiro porque está difícil de suportar?

Conselho de quem não consegue dizer tudo que quer com facilidade: explode. Corre pra um lugar quieto e sozinho e grite e chore e põe toda essa dor pra fora, mas grite mesmo, grite até sua garganta doer e você se sentir mais leve, mas aliviada, e se der vontade de chorar, chore. Tira todo esse peso de você, não deixe que essa escuridão acabe com o pouco de luz que ainda resta dentro de ti. 

E eu sei que isso não resolve tudo. Ainda mais se teu problema for psicológico, é muita coisa pra lidar. Mas as vezes precisamos admitir que não somos o Iron Man, ou o Superman ou a Wonder Woman, somos seres humanos sem super poderes - infelizmente - e não somos tão forte quanto a sociedade nos diz todos os dias que precisamos ser. Tira esse peso das suas costas. 

Entenda: esta tudo bem, não estar tudo bem... 

Com amor

De alguém que pouco a pouco esta aprendendo a conviver com suas limitações ❤